Nespresso, Ferrero Rocher e Caldo Verde: o meu NOS Primavera Sound 2015

O plano estava estabelecido e era o mais óbvio e lógico possível: na quarta-feira, dia 3 de Junho, deitar cedo e cedo erguer, porque no dia seguinte tinha um comboio para apanhar, às 9:30h, com destino a Porto – Campanhã. A ideia era chegar fresco e com tempo para relaxar um bocado até à hora… Continue a ler Nespresso, Ferrero Rocher e Caldo Verde: o meu NOS Primavera Sound 2015

Uma canção mundana

para o João Sobral e para a Joana Valente Na sexta-feira fui ver uns concertos à Casa dos Amigos do Minho, numa zona chunga perto da zona chique do Intendente. O evento chamava-se Exílio no Minho #2 e o cartaz anunciava concertos de Filipe Sambado, João Nada, Jewels e O Cão da Morte. O que… Continue a ler Uma canção mundana

Despejar nomes

Andava a apetecer-me fazer um post aqui, mas como ando com preguiça de escrever coisas que exijam um bocadinho de articulação de ideias, se calhar faço só uma sessão de name-dropping. Tipo, dizer o que é que tenho andado a fazer e isso. Tenho andado a ouvir música. Desde que fiz um tope de 2011… Continue a ler Despejar nomes

Do patriotismo e da descrição

Quem me conhece sabe que não sou dado a patriotismos. Não sei se isso é bom ou mau. Sei porque é que sou assim e se calhar o motivo não é o mais correcto. É que para mim o patriotismo está demasiado associado ao nacionalismo obtuso da direita extremista. Eu tenho consciência de que isto… Continue a ler Do patriotismo e da descrição