Uma piada que não está a ter piada (2)

Li mais umas páginas de A Piada Infinita. Benevolente, mas ao mesmo tempo triste. Triste porque queria mesmo ler este livro e queria mesmo lê-lo em português, porque sei que no inglês vou tropeçar muitas vezes em partes mais complicadas. O problema é que estou a tropeçar muitas vezes na tradução portuguesa. E em partes… Continue a ler Uma piada que não está a ter piada (2)

Uma piada que não está a ter piada

Hoje comecei a ler A Piada Infinita, de David Foster Wallace. Comecei ontem à noite, mas tecnicamente já era hoje porque já passava da meia-noite. E comecei com alguma solenidade, como quem se prepara para um evento importante da sua vida. Estava disposto a desfrutar da viagem. Os tempos da Internet, das compras online, dos… Continue a ler Uma piada que não está a ter piada

Da realização de não-realizações

Não passa um dia sem que pense na escrita. Infelizmente, o pensamento não é acompanhado pelo acto. Não passa um dia sem que eu pense na não-escrita, actividade em que sou exímio. Se a primeira, idealizada, me entusiasma, a segunda, realizada1, desespera-me. Sou muito bom a realizar não-realizações, o que é uma qualidade, no mínimo,… Continue a ler Da realização de não-realizações